Goodbye means nothing at all

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011 01:09 Postado por Arielle Gonzalez
Ainda espero as palavras chegarem e a negação partir. Acabou, como tudo que é bom, ruim ou indiferente. Esse era mais um fim inevitável e programado e inadiável e insuportável. Não pelo lugar, difícil mesmo é abrir mão das pessoas.

A vida não é uma narrativa escrita em linhas tortas, tá mais pra uma obra de arte abstrata repleta de traços feitos aleatoriamente. Todo mundo olha e dá palpite, mas nem o autor sabe ao certo o que quis dizer com a aquele monte de informação. Tem gente que diz que vê o copo meio cheio, outros enxergam ele meio vazio. Pra mim isso não faz diferença porque eu sempre avisto tempestade. 

Porém não nego que o Universo tenta manter um certo equilíbrio. Caras bonitos ficam com mulheres feias, quem tem sorte no amor tem azar no jogo e por aí vai. Sempre acreditei que quando Deus fecha uma porta, abre uma janela pra gente ter de onde se jogar. O que não desconfiava é que lá embaixo ia ter monte de gente disposta a se por entre mim e o chão, só pra diminuir a minha dor. 

Ou pelo menos foi assim que eu passei a me sentir com o meu primeiro emprego. Porque além do choque de ter o mundo virado de cabeça pra baixo com a partida inesperada do meu pai, naquele mês, eu recebi apoio incondicional de pessoas que me conheciam há poucos dias. De lá pra cá, eles fizeram parte do pior e de alguns dos melhores momentos da minha vida.

Foram dois anos dividindo alegrias, stress, boas novas, futilidades, sonhos, planos e amor. A gente recebeu muita gente de braços abertos e teve dificuldade para abrir os mesmos braços na hora de dizer adeus pra muita gente também. A convivência fez nascer uma família que foi além das seis horas de trabalho e, que daqui pra frente, vai além da convivência também. 

Em um mundo onde tudo se mede em números, eu aprendi que aquilo que é importante se mede na intensidade do abraço e no brilho molhado do olhar.

“Aquilo que é bom, e de verdade, e forte, e importante - coisa ou pessoa - na sua vida, isso não se perde.”

0 Response to "Goodbye means nothing at all"

Postar um comentário