Parece que foi ontem que eu vi você passando...

quinta-feira, 15 de julho de 2010 08:41 Postado por Arielle Gonzalez
... com seu jeito esnobado de me olhar

A Fresno lançou no dia do rock o albúm Revanche. Sim, eu gosto de Fresno. E não, não sou emo. Simplesmente aprecio as letras melosas que falam de amor e ignoro o físico, cabelo e/ou roupas dos integrantes da banda (apesar de achar que eles são simpáticos). Não sou nenhuma expert em música, só sei dizer o que gosto e não gosto.

Logo de cara a faixa que leva o nome do disco choca um pouco, tem um pegada mais pesada ao mesmo tempo que o teclado lembra Muse. Sei lá. Algumas faixas são mais suaves. Do Redenção sobrou a levada eletronica, só isso. O novo álbum lembra muito o Ciano, segue a mesma linha. Enfim, eu amei!

Resolvi escrever sobre isso porque comecei a escutar Fresno por causa da gravação do MTV Ao Vivo 5 Bandas de Rock (FORFUN, FRESNO, Hateen, Moptop e Nxzero). Queria muito ter ido mas descobri que seriam quatro músicas de cada banda, e perdi a vontade. No dia do show fui viajar e enquanto descobria a Fresno no retiro espiritual do meu pai, também conhecido como sítio, comecei a lamentar a minha decisão.

No meu aniversário daquele ano (2007) ganhei o DVD. O resultado foram vários domingos com o volume da tv no talo, enquanto eu quicava de alegria pela casa. Bateu uma saudade imensa da minha vó e daqueles domingos. Pensar nisso me trouxe memórias do que parece uma outra vida.



Falando em Fresno, o Lucas postou, mais uma vez, os meus sentimentos no blog dele.


"
Quando lutamos contra nós mesmos, somos os únicos a colecionar feridas. Até que ponto vale a pena ater-se ao caminho da menor dor, do baixo risco e do conforto calculado? Você grita para si mesmo com tanta força essa mentira, que acaba por não ouvir o peito clamando por um segundo de atenção. Mas eu consigo ouví-lo, quando ele encosta no meu, e sigo aguardando o dia em que a tua garganta, de tão rouca, deixe chegar aos teus ouvidos o que para mim fica claro toda vez que teus olhos fecham antes dos meus: é recíproco.
Eu poderia dizer que fui acometido por uma abstinência de sensações às quais já estava acostumado. É o que você sempre diz, mas eu ainda não me acostumei a você. Por isso que eu sempre volto, mesmo quando a minha autoestima implora para que eu espere por um sinal teu. Teus sinais foram dados; nós é que falamos línguas diferentes, quando o assunto é sentir e expressar.
Eu poderia dizer o que já repeti em refrões antigos: que sou “alguém pra ocupar o lugar / de quem não vai voltar”. São palavras que me saltam da língua e páram nos dentes, sempre que sinto medo de que você confirme a minha hipótese. Então eu sigo o teu conselho de me ater apenas às tuas ações. E assim eu sigo, tirando da tua boca frases impensáveis, do teu peito, o calor que eu preciso e, da tua vida, tudo que vai de encontro aos teus planos de não me deixar entrar. Aluguei um espaço no teu pensamento e me sinto confortável aqui, embora nada me garanta que eu não possa ser despejado. Se for pra ser, que assim seja: o frio da rua é mais confortável do que um lar onde já não se quer mais morar. E faz tempo que eu me mudei, jogando fora as chaves da antiga morada.
A vida ensina, a gente aprende. No entanto, isso não quer dizer que não devamos, às vezes, desobedecer as leis que nós mesmos criamos. Cansei de lutar contra mim mesmo, pois já me cobrem o corpo feridas em diferentes fases de cicatrização. Aqui estou, pronto para me aplicar com mais algumas doses cavalares de você, se assim me permitir. E eu já não mais vivo sem essa morfina que eu batizei com o teu nome, há alguns meses atrás."



E eu sei que pra ele isso são apenas palavras.

1 Response to "Parece que foi ontem que eu vi você passando..."

  1. Thiago Says:

    Mais um belo post embora não curto este tipo de "rock" , não por ser romântico e melaadooo mas por que nao tem conteúdo e sim rimas... somente.

    Viva a Vida

Postar um comentário