Happiness can be found even in the darkest of times. Sério?

quinta-feira, 8 de julho de 2010 13:47 Postado por Arielle Gonzalez
"Sabe, às vezes, penso mesmo que dizer "deixa pra lá" cansa menos, e você?"
Os Funerais do Coelho Branco - Dance of Days

Eu assisti o trailer Harry Potter e as Relíquias da Morte. Esse garoto mexe comigo. Deve ser porque crescemos juntos. Sempre tivemos essa ligação. Temos uma história. Eu, ele, a Mione e o Rony ... e claro, todo as outras pessoas do planeta que conhecem aquele universo melhor do que qualquer outro lugar no mundo. Quem dividiu aventuras com ele, durante uma vida que se divide em sete fantásticos livros, e alguns filmes não tão fantásticos assim. 
Conheci o Harry quando tinha 10 anos. Esperei ansiosamente a carta de Hogwarts quando completei 11, e lamentavelmente, ela nunca chegou. Fiz amizades incriveis com pessoas mais incriveis ainda por causa dele. Tudo aconteceu como se fosse mágica. Fiquei noites sem dormir devorando cada um dos livros. Chorei com a morte dos meus personagens preferidos. Passei raiva com algumas revelações. Quando tudo acabou, foi muito estranho. O HP não tinha mais o que crescer e eu uma vida inteira pela frente. Nunca imaginei que ficaria sem notícias dele.
Quase 10 anos depois eu recomecei a jornada, redescobri aquele universo. Achei varias dicas perdidas lá no inicio da história. Poucas pessoas sabem mas foram as aventuras dele com a Ordem da Fenix que me ajuradaram a tirar da cabeça a morte do meu pai. Naquele dia, toda vez que eu fechava os olhos, eu via o exato momento que a vida abandou o corpo dele. E por mais que eu soubesse que aquilo era verdade, parecia mais um pesadelo enquanto estava acordada. Precisava me distrair porque não aguentava mais ver aquilo. Foi o Harry que me fez compainha naquela noite. 
Da mesma forma que o Dumbledore me disse, "Você acha que os mortos que amamos realmente nos deixam? Você acha que não nos lembramos deles ainda mais claramente em momentos de grandes dificuldades? O seu pai vive em você, Harry, e se revela mais claramente quando você precisa dele... Sabe, Harry, de certa forma você realmente viu seu pai ontem a noite... Você o encontrou dentro de si mesmo". Tá, ele disse isso pro HP, mas a moral da história também servia pra mim. Ele também me ajudou.
Pra completar foi inaugurado no mês passado o parque temático do Harry. Eu venderia meu rim no mercado negro para passar uns dias lá. Na verdade, antes da vida me passar mais uma rasteira, o Wizarding World of Harry Potter era uma possibilidade. Um plano para um futuro não tão distante assim. Agora é só mais um item na lista de 'coisas para fazer antes de morrer'.
Toda essa enrolação para dizer que o trailer me deixou arrepiada. Ainda mais quando "Aquele que Não Deve Ser Nomeado", (quer saber, já bem disse Hermione, "o medo de um nome aumenta o medo da coisa em si"), então, quase tive um treco quando Voldermort pergunta para o Harry: Why do you live? e o bruxinho (não mais tão inho assim) responde: Because I have something worth living for! 
Tão lindo. Fiquei tão ansiosa. E já comecei a sofrer porque como diz o primeiro poster do filme, "Tudo termina aqui". E termina de vez!

1 Response to "Happiness can be found even in the darkest of times. Sério?"

  1. Anônimo Says:

    ai amor, é incrível como eu adoro seus textos, JU-RO. você escreve de uma maneira tão pura. e impressionante como tu conseguiu transmitir os meus mesmos sentimentos pelo HP nesse texto. cresci com ele sabe, e quando soube do último livro, foi como se tivessem levando um pedaço da minha infância. hoje isso já está calejado, aliás estava, porque o filme está aí, e aquele pensamento que eu sustentava de "ainda não acabou, tem o filme" não irá colar mais. agora é de vez. se a gente quiser, claro. porque, quando a saudade bater, é só reler. mas nunca será a mesma coisa como das outras vezes, aquela vontade de esperar por mais uma história, e mais um filme, e sempre mais. agora é esperar mesmo pra ter dinheiro e ir pra Hogwarts, HAHAHA. Se um dia eu for rico eu te levo tá? prometo.

Postar um comentário